sábado, 3 de janeiro de 2009

Jamie, és grande!

Não sendo eu uma grande aficionada de blogues, decidi criar o "Ao morrer, vou consolada", para poder transmitir e, ao mesmo tempo, absorver, novos prazeres gastronómicos.
Falando em prazer, é inevitável mencionar o simpático "sopinha de massa", Jamie Oliver, grande amador (entenda-se "aquele que ama") de todos os alimentos que existem à face da terra (se não ama algum, inventa um molho e já está: "delicious"). Acompanho há algum tempo a carreira deste chef inglês, desde quando em Portugal só se tinha acesso ao "Naked Chef" através da BBC. Era mais franzino! Ainda me lembro de ver alguns episódios e pensar: "Mas que raio está ele a usar?", já que, se puxarmos um pouquinho pela memória, há meia dúzia de anos, não era usual encontrar em Portugal alimentos como mozzarella ou mascarpone, massas com feitios menos monótonos, vinagre balsâmico, créme fraîche, vagem de baunilha, tomate cereja... Na década de 80, toda a gente comia "Planta" no pãozinho e fiambre era para ocasiões especiais.
Com a abertura de lojas "gourmet" e com a diversificação de produtos nas grandes superfícies, acedemos a verdadeiros tesourinhos culinários. A par de estas e de outras novidades, não podemos esquecer tão típicos produtos nacionais como queijo de Azeitão, enchidos transmontanos, pão alentejano, porco preto, alheiras de Mirandela, pêra rocha, sardinha pinga no pão e outras infinitas odes ao paladar.

P.S.- Aaah! O nome do blog deriva de um pensamento proferido no programa da Oprah Winfrey, colossal personalidade que cinzentos intelectuais apelidam de "rainha dos clichés". Assim sendo, Oprah dizia que, no caso de ser atropelada por um autocarro, não queria que o seu último pensamento fosse "Mas por que é que eu não comi aquela sobremesa que tanto queria?". Como partilho totalmente esta inquietação, vou cometendo alguns pecados de gula, ao mesmo tempo que trato de gastar umas calorias em obrigatórias aulas de "BodyJam" e afins.

Sem comentários:

Enviar um comentário